Política de Privacidade Como Anunciar
Filtrar por Semana de Gestação
Saúde da Mamãe
Quando uma gestação é considerada de alto risco?

29 de Maio de 2018

De uma hora para outra uma gravidez normal pode se tornar de alto risco. Saiba o que fazer

Quando uma gestação é considerada de alto risco?

O tão esperado momento chegou! O casamento é um sucesso, a vida profissional está de vento em popa… “É o melhor momento para acontecer a tão esperada gravidez. As coisas caminham como desejado, mas de repente, lá pela metade da gestação, naquele exame para verificar o nível de açúcar no sangue, o seu médico faz o diagnóstico de Diabetes Gestacional. Então a preocupação começa, vêm as orientações com dietas e a explicação sobre todas as repercussões que a doença pode causar para o feto e para a gestante.

Esse foi só um exemplo de que de uma hora para outra uma gestação normal pode se tornar de alto risco. O ginecologista e obstetra Dr. Marcelo Guimarães Rodrigues explica que gravidez de alto risco é toda aquela que pode apresentar uma intercorrência que torna o seu desfecho desfavorável, ou toda alteração que fuja do curso normal de uma gestação e que possa comprometer a mãe ou o feto. “Por isso a importância de realizar os diagnósticos e antecipar as causas”, ressalta.

Há fatores que podem complicar uma gestação mesmo antes de ela acontecer. O Dr. Marcelo destaca como exemplo mulheres que já possuem pressão alta, diabetes ou problemas de coração. “Quando engravidarem, elas precisarão de cuidados adicionais e entrarão no grupo de risco”, avalia. Por outro lado, existem complicações durante a gravidez, como o exemplo de diabetes gestacional dado no início da matéria, ou outros, como um feto que não se desenvolve adequadamente, uma redução do líquido amniótico, e a hipertensão, que ocorre somente depois do quinto mês de gestação, causando pré-eclâmpsia, muito temida, já que é uma das principais causas de morte materna.

“Durante o pré-natal uma boa conversa, um exame físico bem feito e sempre observar qualquer mudança ocorrida entre uma consulta e outra pode ser a diferença para se evitar um desfecho desfavorável”, considera o Dr. Marcelo. Uma vez detectada uma gravidez de alto risco, no seu pré-natal as consultas deverão ser realizadas em intervalos mais curtos e mais exames complementares serão necessários para se antecipar às complicações e decidir a melhor hora para o parto.

Numa gestação de alto risco, o nascimento do bebê deve ocorrer em um hospital com boa infraestrutura. Uma parte considerável desses fetos nasce prematura, então o local deve dispor de uma boa UTI neonatal, e pelo perigo a que essa gestante está sujeita, uma UTI materna também é necessária. “Com acompanhamento adequado, o obstetra conseguirá transmitir segurança a sua paciente e proporcionar um final feliz para a família, que espera ansiosamente a chegada do seu bebê”.

VAMOS COMPARTILHAR?

COMENTÁRIOS