Política de Privacidade Como Anunciar
Filtrar por Semana de Gestação
Saúde do Bebê
Qual a hora certa de levar meu filho ao ortodontista?

24 de novembro de 2017

Saiba quando a criança deve fazer a primeira consulta com o ortodontista para averiguar más-oclusões e a necessidade de usar aparelho

Qual a hora certa de levar meu filho ao ortodontista?

Do surgimento dos primeiros dentinhos até a troca pelos dentes permanentes é muito comum as mamães se questionarem se está tudo bem, se o desenvolvimento está dentro da normalidade, se estão cuidando direitinho da saúde bucal dos filhos. O ideal é que a criança seja acompanhada desde bebê pelo odontopediatra e com seis anos faça sua primeira visita ao ortodontista para averiguar más-oclusões e a necessidade de usar aparelho. O Manual da Mamãe conversou com a especialista em ortodontia, ortopedia facial e ortodontia lingual Dra. Roberta Elpídio, para te orientar sobre a oclusão infantil. Confira:

Hábitos como chupar dedo, chupeta, mamadeira influenciam na dentição da criança?

Sim, evitar os hábitos de chupar o dedo e a chupeta representa uma prevenção ortodôntica. A constância e a permanência desses hábitos podem trazer futuros problemas para a dentição e a respiração da criança.

Qual é a idade ideal para a criança deixar esses hábitos? Como o ortodontista pode ajudar?

Até os três ou quatro anos, pode ser que não haja danos. Porém, quanto mais cedo os pais removerem esses hábitos, melhor será para a criança, principalmente no caso do dedo. É preferível oferecer a chupeta ortodôntica que deixar a criança chupar o dedo. O ortodontista, além de poder orientar os pais neste processo, ainda pode instalar os aparelhos que ajudam a criança a abandonar esses hábitos.

Como a mãe pode identificar que a criança apresenta desvio de encaixe entre os dentes, a temida mordida errada?

Nem sempre a mãe tem a possibilidade de identificar mordidas incorretas. Por isso, o ideal é levar a criança a um profissional. Algumas características podem surgir, como assimetria na face e má-dicção, mas o melhor é buscar um especialista. O ortodontista precisa avaliar o paciente como um todo. Diversos fatores, como respiração bucal, dores de cabeça, estalidos, dentre outros, estão relacionados à má-posição dos dentes. Por isso, um exame clínico detalhado é de grande valia e pode diagnosticar sintomas que, muitas vezes, o próprio paciente ainda não percebeu.

Muitas mães têm dúvidas sobre o momento ideal de levar o filho ao ortodontista. Quando deve ser feita essa primeira consulta?

Muitos pais acreditam que devem levar os filhos ao ortodontista somente depois que todos os dentes permanentes surgirem. Porém, a partir dos seis anos, a criança já pode desenvolver más-oclusões (dentes tortos, arcadas desarmônicas). Nesse sentido, é muito importante ter o acompanhamento ortodôntico, se necessário, nessa fase. É possível conduzir tratamentos preventivos, que podem evitar futuras extrações de dentes e até mesmo cirurgias. Isso porque durante o crescimento há uma chance maior de o tratamento ser mais rápido e com melhores prognósticos.

Existem benefícios para as crianças que começam a usar aparelho ortodôntico mais cedo?

Sim. As extrações e cirurgias podem ser evitadas, além de se conseguir ganhos estéticos. Um tratamento precoce consegue prevenir desarmonias faciais, que podem gerar bullying no futuro – isso, aliás, é uma das principais queixas que os pacientes trazem ao consultório.

Quais são os tipos de ortodontia para cada fase da criança?

A ortodontia preventiva tem como finalidade evitar uma má-oclusão. A ortodontia interceptativa é indicada quando a má-oclusão foi diagnosticada e é preciso impedi-la de trazer mais danos à criança. Já a ortodontia corretiva é utilizada quando o problema já existe é e necessário corrigi-lo.

O que a respiração bucal tem a ver com a ortodontia?

O ortodontista faz parte de uma equipe multidisciplinar que trata a criança que respira pela boca. A ortodontia dispõe de métodos eficientes para corrigir as anomalias dentofaciais, atuando sobre o padrão dentário e no padrão ósseo. Normalmente são utilizados expansores que podem ser fixos ou removíveis. O tratamento precoce é importante, pois os aparelhos indicados para esse tipo de problema atuam apenas durante a fase de crescimento, e quando o crescimento cessa, o tratamento passa a ser cirúrgico.

 

Desvios de encaixe mais comuns

 

Mordida Aberta: os dentes superiores não encontram os inferiores; grande incidência em crianças que chupam o dedo ou chupeta.

Mordida Cruzada Posterior: os dentes superiores de trás ocluem por dentro dos inferiores; grande incidência em respiradores bucais e em crianças que chupam o dedo.

Mordida Cruzada Anterior: os dentes superiores ocluem por trás dos inferiores.

VAMOS COMPARTILHAR?

COMENTÁRIOS