Política de Privacidade Como Anunciar
Filtrar por Semana de Gestação
Beleza da Mamãe
Quais são os melhores tratamentos para varizes nos dias atuais?

12 de junho de 2018

Associação de técnicas, realizadas em consultório ou ambiente cirúrgico, conforme indicação médica, garantem bons resultados

Quais são os melhores tratamentos para varizes nos dias atuais?

Um dos problemas que mais afetam a saúde, a doença varicosa, “varizes”, está sempre associada a desconforto estético, queixa de dor em peso, cansaço, inchaço, além das complicações da evolução da doença crônica, como flebites (inflamações), trombose venosa (TVP) e úlceras. Atualmente, a doença é muito estudada com avanços tanto tecnológicos quanto da experiência dos profissionais especializados. E hoje, a associação de técnicas garante sempre o melhor resultado, aponta o angiologista e cirurgião vascular Dr. Wladimir Gonçalves.

A partir da consulta, explica o especialista, já é possível visualizar as veias possíveis de tratamento em ambiente ambulatorial (consultório) ou hospitalar (centro cirúrgico). Através de equipamentos modernos, o médico tem uma ideia para programar o tratamento. “O fleboscópio (que facilita a visualização de telangiectasias, microvarizes e dilatações varicosas) e o veinviewer (equipamento de realidade aumentada que age como o fleboscópio de uma maneira mais real) são aparelhos de extrema importância, que auxiliam na inspeção do paciente, e praticamente detectam se há ou não necessidade cirúrgica”, avalia.

O Dr. Wladimir acrescenta que o ultrassom vascular, ou duplex scan, ou ecodoppler colorido das veias ou mapeamento venoso complementa a inspeção e exame do paciente, estudando criteriosamente cada caso, principalmente as veias mais profundas, que não são visualizadas na inspeção. “Estuda as veias safenas e todo o sistema nervoso profundo.” Feito esse diagnóstico, o especialista define o melhor conjunto de tratamentos.

Em consultório

Em ambiente ambulatorial (consultório), a escleroterapia, chamada também de aplicação ou de secagem de vasinhos, sempre é realizada com o uso de técnicas associadas. “Contamos com a crioescleroterapia (que usa um líquido resfriado a baixas temperaturas), com resfriamento da pele através de um aparelho chamado cryo-system (resfria e protege a pele, minimizando a dor durante as sessões)”, conta.

A microespuma densa, por sua vez, trata as veias reticulares ou microvarizes (veias de 1 a 3 mm de diâmetro, localizadas no tecido de gordura), e que, geralmente, alimentam os vasinhos, (telangiectasias localizadas na segunda camada da pele, com diâmetro de 0,1 a 1mm de diâmetro). O laser transdérmico NDYAG 1064 associado a crioescleroterapia complementa o arsenal no tratamento das veias reticulares/microvarizes, nutridoras das telangiectasias (vasinhos). “A combinação das técnicas, nas sessões de escleroterapia, garante sempre um melhor resultado para cada paciente estudado”, afirma o Dr. Wladimir.

Cirurgias

E do ponto de vista cirúrgico, realizado em ambiente hospitalar, a área da flebologia (segmento da especialidade que estuda e trata com excelência a doença varicosa) está hoje voltada com a associação de técnicas para garantir sempre um melhor resultado, menos invasivo, com recuperação rápida (em torno de 3 a 10 dias), e com excelência estética.

Existem as minicirurgias, muitas vezes realizadas com anestesia local, mas sempre com acompanhamento do profissional anestesista, em que o paciente interna e recebe alta hospitalar no mesmo dia, com volta ao trabalho e as atividades do dia a dia em torno de 3 a 5 dias.

Nos casos de veias varicosas dilatadas (aquelas com diâmetro maior que 3mm, as famosa veias estufadas na pele), para trata-las há as cirurgias com cuidado francamente estético, associadas ou não ao uso do laser endovenoso (técnica que consiste em secar as veias através de fibras ópticas). Essa técnica a laser, permite tratar tanto as veias varicosas calibrosas, principalmente quando há comprometimento das veias safenas.

“Essas técnicas permitem ao paciente rápido retorno as atividades profissionais, em torno de 3 a 7 dias, sem prejuízo ao resultado, tanto estético quanto funcional”, avalia. A espuma densa para grandes vasos e nos casos de comprometimento das veias safenas pode ser realizada em ambiente ambulatorial (consultório) ou no centro cirúrgico, permitindo ao paciente alta imediata, sem necessidade de procedimento anestésico.

Escolha consciente

Dessa forma, desde o tratamento dos telangiectasias e microvarises, como também nos casos de veias dilatadas, com ou não comprometimento das veias safenas, a associação dos métodos realizados, em ambiente ambulatorial ou hospitalar, dependerá sempre da indicação do melhor método ou associação dos mesmos, utilizando e tendo como pilar todas as tecnologias vigentes.

“Com o treinamento adequado dos especialistas, é possível garantir o melhor resultado para cada paciente, com recuperação e volta das atividades em tempo hábil, em relação ao que acontecia em outras épocas. Por isso, é obrigatório e importante procurar sempre um especialista, para se ter opções seguras e eficazes, garantindo o melhor para cada paciente”, aconselha o Dr. Wladimir.

VAMOS COMPARTILHAR?

COMENTÁRIOS