Política de Privacidade Como Anunciar
Filtrar por Semana de Gestação
Saúde da Mamãe
Por que toda mulher merece um parto humanizado?

5 de novembro de 2018

O objetivo é tornar o processo mais humano e acolhedor

Por que toda mulher merece um parto humanizado?

Esperar o cordão umbilical parar de pulsar antes de cortá-lo e levar o bebê direto para o colo da mãe assim que ele for retirado para acontecer o primeiro contato pele a pele são apenas algumas das características de um parto humanizado. Trata-se um conjunto de práticas e procedimentos que buscam tornar esse processo mais humano e acolhedor e colocar como protagonistas a gestante e o bebê (e muitas vezes o pai também), não importa onde o parto aconteça, se na água, na maternidade ou no centro cirúrgico. “Devemos deixar que tudo aconteça de forma mais fisiológica e com o mínimo possível de intervenção”, explica a ginecologista e obstetra Dra. Mariana Stival. Sonha com um parto assim? Perguntamos à especialista tudo o que você precisa saber para parir de forma humanizada. Confira:

Qual a diferença entre o parto normal e o humanizado?
O parto normal pode ser humanizado ou não. A humanização não tem a ver com a via por onde o bebê será retirado, mas sim com o processo como isso acontecerá. Independentemente de ser submetida a um parto normal ou a uma cesária, a mulher pode estar inserida em um contexto de humanização do parto, que se refere à forma como ela é recebida no consultório médico, ao acompanhamento de sua gestação, ao pré-natal, e tudo mais que permita que ela se sinta segura e acolhida do início até o final da gravidez.

O parto humanizado é indicado para todas as gestantes?
Sim! Toda mulher merece um parto humanizado.

Como a mulher se prepara para o parto humanizado?
É bastante importante a consulta com uma doula ou psicóloga perinatal para fazer um preparo psicológico e com um fisioterapeuta para fazer um trabalho da região pélvica.

Que profissionais estão envolvidos no parto humanizado?
É uma equipe multidisciplinar: a doula ou psicóloga que vai cuidar da parte emocional, a nutricionista que vai cuidar para que a mãe esteja bem nutrida e no peso certo, a fisioterapeuta que vai ser responsável pelo trabalho com a região pélvica, os profissionais do pré-natal e ultrassom que vão monitorar o desenvolvimento do feto.

A recuperação do parto humanizado é melhor que dos partos habituais?
Quanto se é o menos intervencionista possível, claro que a recuperação é melhor. Então se a gente faz uma preparação do períneo, a mulher vai ter uma maior facilidade na hora do expulsivo, menor será o risco de trauma perineal, por exemplo.

Que outras vantagens existem no parto humanizado?
No parto humanizado há mais chances de o leite descer mais rápido; há uma transferência de bactérias da mãe para o bebê pelo contato pele a pele e isso cria uma proteção para o bebê; o bebê já é colocado imediatamente no peito para mamar, o que chamamos de hora de ouro, pois confere maior imunidade para a criança; além do fato de se criar um maior laço entre mãe e filho.

Quando as intervenções são necessárias em um parto humanizado?
Quando a gente percebe que o bebê está em sofrimento ou quando o parto está ficando muito longo e a mãe já está ficando exausta.

É possível aliviar a dor do parto normal?
Um dos grandes fantasmas do parto normal é a dor, mas existem sim mecanismos para aliviar a dor, como massagens, respiração, colocar a gestante debaixo do chuveiro, o uso de algumas posições e em último caso a analgesia realizada com pequenas quantidades de farmacológicos.

Uma cesárea pode ser humanizada?
Sim, claro que pode. Nesse caso a gente pode baixar os campos, permitir a criança entrar em contato imediatamente com a mãe, deixar o cordão parar de pulsar para cortá-lo, já deixar que a primeira amamentação aconteça na sala, fazer o contato pele a pele e deixar a criança sair do centro cirúrgico com a mãe.

VAMOS COMPARTILHAR?

COMENTÁRIOS