Política de Privacidade Como Anunciar
Dicas do Enxoval Quando Vai Nascer Seu Bebê na Capa Ver Todos
Filtrar por Semana de Gestação
Saúde da Mamãe
Os tratamentos mais procurados para melhorar a estética genital

28 de Maio de 2018

Algumas características na genitália podem causar desconforto e diminuição da autoestima. Saiba como resolver

Os tratamentos mais procurados para melhorar a estética genital

A estética vem ganhando espaço nos últimos anos nos consultórios ginecológicos, já que as mulheres estão cada vez mais dando atenção ao seu bem-estar físico e mental. Algumas características na genitália, sejam elas de nascimento ou adquiridas ao longo da vida, podem causar desconforto e diminuição da autoestima. Novas técnicas tem sido desenvolvidas para resolver esses problemas de forma rápida e muitas vezes em ambiente de consultório, com menor impacto na rotina da paciente. Abaixo, a ginecologista com especialização em Uroginecologia Dra. Daniela Busato elenca alguns exemplos de tratamentos para:

Atrofia (secura) genital
A atrofia genital pode ocorrer em períodos de alterações hormonais, como na menopausa ou no período de amamentação. Os sintomas mais comuns são secura vaginal e diminuição da elasticidade da vagina, causando desconforto ou dor durante as relações sexuais. Existem tratamentos muito utilizados, baseados no uso de hormônios.

Recentemente pesquisas revelaram que aplicações a laser ou radiofrequência geram bons resultados. Em poucas sessões, o efeito térmico nas estruturas ativa e reorganiza as camadas mais profundas da parede vaginal, revitalizando o tecido. Até mesmo em pacientes portadoras de câncer de mama, onde o tratamento hormonal está limitado, estes procedimentos não têm contraindicação. Após as aplicações pode-se obter melhora da lubrificação vaginal, diminuição da urgência urinária e diminuição da sensação de peso na vagina.

Hipertrofia de pequenos lábios
Assim como as diferenças de tamanho e aspecto para outras partes do corpo, existem poucas “normas” (dentro de limites razoáveis) com relação ao tamanho, contorno ou aparência dos pequenos lábios. A satisfação ou insatisfação individual é altamente subjetiva. Os pequenos lábios existem para proteção da entrada da vagina.

Algumas pacientes procuram o consultório por insatisfação devido ao tamanho dos pequenos lábios, que podem causar dor local, desconforto na relação sexual e/ou dificuldades em atividades físicas (como o spinning por exemplo) e no uso de algumas roupas, podendo causar até mesmo sangramento local. A plástica dos pequenos lábios é uma cirurgia que corrige estética e funcionalmente essa alteração, fazendo a redução do volume e corrigindo alguma irregularidade nos pequenos lábios. Pode ser realizada em consultório ou no centro cirúrgico e requer alguns dias de repouso e cuidados locais.

Prolapsos ou distopias genitais
Ao longo da vida a mulher pode passar por algumas situações em que ocorre o aumento da pressão abdominal, por exemplo na gestação, no parto, assim como nas pacientes com obstipação intestinal ou nas portadoras de tosse crônica (asmáticas, portadoras de doença do refluxo gástrico por exemplo). Esse aumento da pressão abdominal pode ser temporário ou crônico, e levar ao rompimento de tecidos importantes que sustentam as paredes vaginais, ocorrendo o que se chama de prolapsos ou distopias genitais.

Alguns sintomas relacionados são: dificuldade de evacuar ou urinar, urgência para urinar, dispareunia (dor na relação sexual), sensação de peso na vagina, frouxidão das paredes vaginais e incontinência urinária. Conforme o grau de desconforto está indicada a correção cirúrgica destas alterações, com cirurgia de perineoplastia. Esta cirurgia é realizada via vaginal, em hospital e necessita de repouso no pós-operatório para melhor e mais rápida recuperação.

Flacidez de grandes lábios
Os grandes lábios são constituídos, na sua maior parte, de tecido gorduroso. Com o passar dos anos, essas estruturas perdem um pouco do seu volume, levando a uma flacidez e relaxamento da pele. A aplicação de agentes que preenchem esse espaço recuperam a aparência. Os agentes mais comumente usados para isso são o ácido hialurônico e a própria gordura da paciente.

Escurecimento vulvar
Algumas pacientes queixam-se da hiperpigmentação (escurecimento) da pele da vulva, que pode ocorrer devido ao envelhecimento, a alterações hormonais da gestação ou infecções. Também o atrito da roupa íntima com essa região faz com que a região inguinal escureça, por causa da irritação crônica da pele nesta região.

O clareamento pode ser feito por meio de peelings, que restauram a cor e a textura da pele, e devem ser aplicados por um médico; microdermoabrasão, um método mecânico que por meio da esfoliação remove a camada mais superficial de células mortas, muitas vezes não sendo tão efetivo para despigmentação; ou aplicações de laser, que além de clarear, aumenta a produção do colágeno, produzindo melhores resultados cosméticos.

Com a remoção total dos pelos, prática cada vez mais comum em nosso país, as mulheres percebem mais facilmente o escurecimento da pele da vulva, do períneo e da região perianal. Uma avaliação de manchas profundas deve ser realizada antes da escolha e indicação do tratamento.

VAMOS COMPARTILHAR?

COMENTÁRIOS