Política de Privacidade Como Anunciar
Filtrar por Semana de Gestação
Saúde da Mamãe
Medicina Fetal – fundamental para diagnosticar alterações na gestação

23 de novembro de 2017

A Medicina Fetal tem evoluído cada dia mais, a fim de promover um acompanhamento detalhado da gestante e do bebê

Medicina Fetal – fundamental para diagnosticar alterações na gestação

Não faz muito tempo que para ter ideia de como evoluía a gravidez de sua paciente, o médico tinha à disposição apenas as próprias mãos e alguns poucos instrumentos em seu exame físico. Foi só com o advento da ultrassonografia que se pôde visualizar o interior do útero para saber como o feto realmente estava se desenvolvendo. A Medicina Fetal tem evoluído cada dia mais, a fim de promover um acompanhamento detalhado da gestante e do bebê, com o objetivo de estimar riscos, diagnosticar e tratar possíveis complicações da gravidez ou alterações congênitas da criança.

“A Medicina Fetal é uma área de atuação da Ginecologia e Obstetrícia. A especialização é recente e vem proporcionando mais atenção às famílias e suporte aos obstetras no acompanhamento da gestação”, acrescenta o professor universitário e especialista na área Prof. Dr. Marcello Viggiano. Ele explica ainda que a especialidade também pode atuar de forma preventiva, por meio da realização do aconselhamento genético dos casais; solicitação de exames laboratoriais e de imagem, para o rastreamento de alterações cromossômicas, anatômicas ou infecções fetais, e na prescrição de medicações que podem diminuir o risco de certas más-formações.

Assim, qualquer gestante pode procurar o acompanhamento em Medicina Fetal. A realização de exames específicos ajuda a diminuir a ansiedade dos casais quanto ao desenvolvimento do feto, tranquilizando-os nos momentos de normalidade ou aconselhando-os quando existir alguma alteração. Já para o médico pré-natalista, explica o Prof. Dr. Marcello Viggiano, o benefício encontra-se na possibilidade de uma atenção mais adequada a sua paciente, abrindo um canal de discussão nos casos normais e, especialmente, quando há alguma alteração do feto.

“No caso da descoberta de alguma doença, o especialista deve ter a preocupação de primeiro tentar confirmar aquela suspeita diagnóstica, para depois classificá-la, e, a seguir, passar de forma simples e humanizada o caso para a família, para que, com isso, possa auxiliar não só o casal, como também o obstetra nesse momento tão delicado do pré-natal da gestante”, pondera.

Atuação

O especialista em Medicina Fetal pode atuar na área diagnóstica, na qual realiza todos os exames ultrassonográficos da gestação, desde os transvaginais no primeiro trimestre; passando pelos que fazem o rastreamento de síndromes genéticas e anatômicas fetais; os que avaliam a vitalidade fetal, como a Dopplerfluxometria e o Perfil Biofísico; além dos exames tridimensionais. Procedimentos invasivos para diagnóstico e tratamento de certas doenças fetais também podem ser executados, como a coleta de líquido amniótico ou de amostras da placenta em situações específicas.

VAMOS COMPARTILHAR?

COMENTÁRIOS