Acompanhamento pré-natal. Alimentação saudável. Atividade física… São diversos os fatores que contribuem para uma gestação sem intercorrências. Quanto mais suporte tecnológico e científico a Medicina recebe nesse sentido, melhor para a gestante, que desfrutará com tranquilidade este momento tão especial e único em sua vida. A Medicina Fetal tem evoluído cada dia mais, a fim de promover um acompanhamento detalhado da gestante, do desenvolvimento do feto, com o objetivo de estimar riscos, diagnosticar e tratar possíveis complicações da gravidez ou alterações congênitas do bebê.

“A Medicina Fetal é uma área de atuação da Ginecologia e Obstetrícia. A especialização é recente e vem proporcionando mais atenção às famílias e suporte aos obstetras no acompanhamento da gestação”, acrescenta o professor universitário e especialista na área Prof. Dr. Marcello Viggiano. Ele explica ainda que a especialidade também pode atuar de forma preventiva, por meio da realização do aconselhamento genético dos casais, solicitação de exames laboratoriais e de imagem, para o rastreamento de alterações cromossômicas, anatômicas ou infecções fetais, e na prescrição de medicações que podem diminuir o risco de certas más-formações.

Assim, qualquer gestante pode procurar o acompanhamento em Medicina Fetal. A realização de exames específicos ajudam a diminuir a ansiedade dos casais quanto ao desenvolvimento do feto, tranquilizando-os nos momentos de normalidade ou aconselhando-os quando existir alguma alteração. Já para o médico pré-natalista, explica o Prof. Dr. Marcello Viggiano, o benefício encontra-se na possibilidade de uma atenção mais adequada a sua paciente, abrindo um canal de discussão nos casos normais e, especialmente, quando há alguma alteração do feto.

“No caso da descoberta de alguma doença, o especialista deve ter a preocupação de primeiro tentar confirmar aquela suspeita diagnóstica, para depois classificá-la, e, a seguir, passar de forma simples e humanizada o caso para a família, para que, com isso, possa auxiliar não só o casal, como também o obstetra nesse momento tão delicado do pré-natal da gestante”, pondera.

Atuação
O especialista em Medicina Fetal pode atuar na área diagnóstica, na qual realiza todos os exames ultrassonográficos da gestação, desde os transvaginais no primeiro trimestre, passando pelos que fazem o rastreamento de síndromes genéticas e anatômicas fetais, os que avaliam a vitalidade fetal, como a Dopplerfluxometria e o Perfil Biofísico; além dos exames tridimensionais. A realização de procedimentos invasivos para diagnóstico e tratamento de certas doenças fetais também podem ser executados, como a coleta de líquido amniótico ou de amostras da placenta em situações específicas.

Notícias Relacionadas

Deixe uma resposta

Seu endereço de e-mail não será publicado. Os campos obrigatórios estão marcados *