Política de Privacidade Como Anunciar
Filtrar por Semana de Gestação
Crescimento Infantil
Fotografia de família, um encontro com nós mesmos

31 de julho de 2018

Uma imagem que capta o amor real de um grupo específico é cheia de significados, é a arte falando da vida

Fotografia de família, um encontro com nós mesmos

Por Adrieli Cancelier

Se existe um grande objetivo na vida de cada adulto é nos encontrarmos. Uma vez eu ouvi que o segredo da felicidade é o seu EU criança ter uma mensagem para entregar para o seu EU adulto sem deixar que ela se perca no caminho. Mas como carregar essa mensagem por tantos anos sem deixar que ela se torne um rabisco ou imagem distorcida com as pedras do nosso caminho? Eu encontrei na fotografia lifestyle de família uma forma de registrar essa mensagem, afinal quando eu olho a minha antiga caixa de fotografias eu consigo ouvir a Adri criança dizendo coisas que eu havia esquecido.

E o mais precioso que eu percebi em toda a minha carreira de fotógrafa de famílias é que cada criança, cada adulto e cada família carrega consigo uma imagem mágica que pode lhe trazer conforto. Em uma conversa com o Adriel Christ, psicólogo especialista em existencialismo e mestrando em Psicologia Social, levantamos questões como o pertencimento familiar e ele me disse algo que nunca vou esquecer: “A família, independente da sua configuração, é geralmente este primeiro lugar de pertencimento da criança para se fazer ser. O pertencimento localiza o ser em um grupo, ele é bastante importante. Mas o fundamental é que o ser possa escolher o lugar a que pertence.”

O fundamental é que O SER possa escolher o lugar a que pertence. Acho que foi nesse momento que a conversa deixou de ser sobre fotografia e passou a ser sobre o encontro com nós mesmos. Eu perguntei para o Psicólogo Adriel se a fotografia de família pode auxiliar a criança a se sentir mais segura: “Pode, se a família transpõe as mensagens de amor que estão naquela imagem para o cotidiano. Uma fotografia que capta o amor real de um grupo específico é cheia de significados. Aquele simbólico afirma e compõe um pertencimento, uma história, uma trajetória. Se o objetivo é traçar uma memória para dar mais alegria ao futuro, acredito que é uma estratégia muito potente. Acho que os pais podem ver neste tipo de trabalho mais do que um investimento ou um produto, mas como aquilo que a fotografia é, a arte falando da vida. Somos passageiros, mas a fotografia nos dá um tempo maior de existência. Nos assegura que fomos amados e temos histórias.”

Foto-2 Fotografia de família, um encontro com nós mesmos

E isso vai muito de encontro ao que eu acredito e aplico no meu trabalho com a fotografia de família. Nós temos uma história. Cada ser é único e incomparável justamente por cada capítulo dela. E o Adriel ainda concluiu: “Mais que seres biológicos somos seres sociais e culturais com capacidade de escolha, inclusive a criança, que é livre para se experimentar e se escolher. O que é felicidade é relativo a cada cultura, mas provavelmente um contexto mais democrático e de vínculos amorosos vai exercer um efeito saudável nas sensações psicofísicas e promovendo escolhas mais autênticas. Uma criança feliz é aquela que vive afetos entre liberdade e responsabilidade nas relações.”

A fotografia de família é um meio simbólico para reafirmar laços através da experiência, mas também um objeto real carregado de provas de amor e afeto. Ela pode sim te provocar emoções significativas, mas principalmente guardar aquela mensagem da criança para o adulto por toda a eternidade.

Adrieli Cancelier – Fotógrafa Lifestyle de Família em Curitiba, especialista em registrar emoções infantis e laços familiares.

Adriel Christ – Psicólogo CRP 12/14538 em Criciúma, especialista em existencialismo e mestrando em Psicologia Social UFRGS.

VAMOS COMPARTILHAR?

COMENTÁRIOS