Política de Privacidade Como Anunciar
Filtrar por Semana de Gestação
Saúde do Bebê
Do que depende o desenvolvimento cognitivo e emocional do bebê?

29 de Maio de 2018

Há três áreas fundamentais do desenvolvimento infantil: motor, cognitivo e emocional. Cada uma se diferencia à medida que a criança vai conquistando suas habilidades

Do que depende o desenvolvimento cognitivo e emocional do bebê?

Desde a gestação há fatores que influenciam no desenvolvimento emocional do bebê, pois ele depende muito das reações que a mãe apresenta. Muitas vezes, mesmo ainda pequenino, ele dá suas respostas. Quem nunca sentiu a barriga endurecer ou o bebê movimentar-se ainda mais após algo acontecer? Alguns reflexos disso podem ser vistos no desenvolvimento da criança, que pode ser mais agitada, irritável ou tranquila.

A psicóloga, neuropsicóloga e psicopedagoga Elciane Lipski e o psicólogo Antonio Carlos Furtado Dorneles explicam que há três áreas fundamentais do desenvolvimento infantil: motor, cognitivo e emocional. Elas acontecem ao mesmo tempo, mas cada uma se diferencia à medida que a criança vai conquistando suas habilidades. “Para todas estas áreas é importante a estimulação, o que vai além dos cuidados básicos, é preciso também de afeto, companhia e interação, principalmente dos pais, para que tudo isso ocorra de maneira saudável e dentro do tempo esperado, diminuindo riscos de problemas ao longo do desenvolvimento, pois o desenvolvimento emocional também depende de como as pessoas ao seu redor o tratam”, afirmam.

Elciane ressalta que é importante lembrar que enquanto bebês há um grande avanço cognitivo, devido a ligações neurais e quantidade de sinapses, principalmente em todo o primeiro ano de vida. Você já parou para pensar quantas habilidades eles adquirem em pouco tempo? Nesta fase os bebês conseguem experimentar todos os sentidos de uma forma muito dinâmica.

Segundo eles, as primeiras experiências são por meio de ação-reação e por imitações: o bebê se comporta muitas vezes conforme um espelho do outro. Assim, começa a entender o que acontece para ser atendido. Por exemplo, se ele chora, a mãe vem ver o que ele precisa – trocar fraldas, fome, dor etc. – então das próximas vezes fará o mesmo para ter retorno.

Antonio Carlos explica que logo vem o período de birras, fase em que os bebês anunciam ao mundo que têm suas vontades. Mas neste momento é preciso limites para que eles percebam que existe uma forma de lidar com tudo isso, pois ajuda a estruturar e preparar para o que vem ao longo de suas vidas. “Isso também é uma demonstração de amor e os pais são o porto seguro de seus filhos, estas medidas ajudam a desenvolver os bons princípios e inteligência emocional.”

Com estimulação, é natural que os bebês desenvolvam as habilidades motoras, cognitivas e emocionais, porém em algum momento pode ser que os pais percebam alguma dificuldade, então esta é a hora de buscar uma ajuda profissional para verificar as causas e auxiliar no sucesso na aquisição de cada habilidade.

VAMOS COMPARTILHAR?

COMENTÁRIOS