Política de Privacidade Como Anunciar
Filtrar por Semana de Gestação
Saúde do Bebê
Cuidados com o primeiro brinquinho

6 de Março de 2017

Cuidados com o primeiro brinquinho

Tons de rosa, laços, fitas e, claro, os brinquinhos são itens apaixonantes no enxoval dos bebês. É tradição realizar a perfuração da orelhinha das meninas para a colocação do primeiro brinquinho, e para que este momento traga boas lembranças, é de fundamental importância sua realização com toda segurança e dentro das normas preconizadas.

A ANVISA, agência que regulamenta os serviços que possam afetar a saúde da população brasileira, estabeleceu critérios e condições mínimas para boas práticas da perfuração do lóbulo auricular para colocação de brincos, atestando a obrigatoriedade da utilização de brincos estéreis, lacrados e regulamentados, bem como a realização em estabelecimentos com alvará de funcionamento devidamente emitidos pela vigilância sanitária.

Por isso, na maioria das vezes, os brincos que as mamães compram ou ganham de presente não são os indicados para a perfuração da orelhinha de seus bebês. Por penetrar a pele, não devem ser utilizados materiais que não sejam esterilizados, mesmo que sejam de ouro ou feitos com temas e tamanhos para bebês. Estes podem, sim, ser utilizados posteriormente, mas jamais para o procedimento de perfuração, pois aumentam os riscos de infecções e rejeições, além de provocarem maior desconforto por não terem pontas adequadas.

Quando o procedimento é realizado com o material adequado e os cuidados de limpeza durante a cicatrização são feitos corretamente, raramente haverá complicações. Todavia, por se tratar de procedimento invasivo, é importante que o local onde foi realizada a perfuração possua um pediatra responsável pela avaliação do furo, que neste caso será a pessoa mais indicada para prescrever uma medicação se necessário.

Baseando-se em todos os princípios médicos e legais, o Espaço Puericultura surge como alternativa segura para o procedimento de perfuração auricular.

 

Dicas para a mamãe sobre a colocação do primeiro brinquinho de forma segura

 

• Procure locais adequados e regularizados para o procedimento;

• Verifique se o brinco está lacrado. Dessa forma, você terá certeza de que ele é estéril;

• Solicite a caixa do brinco e verifique nela o número do cadastro da ANVISA;

• Questione se o dispositivo utilizado é regulamentado, sem pressão e silencioso;

• Observe se o local mantém registros dos termos de autorização;

• Certifique-se sobre a capacitação da pessoa responsável para o procedimento;

• Veja se é realizada uma marcação prévia;

• Garanta que você receberá orientações sobre os cuidados de limpeza durante a cicatrização;

• Pergunte se existe algum pediatra responsável para orientá-la, no caso da suspeita de infecção local.

VAMOS COMPARTILHAR?

COMENTÁRIOS