Não é fácil encontrar alguém completamente satisfeito com a própria aparência, não é mesmo? Atualmente, homens e, principalmente, mulheres têm apostado muito nas cirurgias plásticas. Segundo a Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica, o Brasil ganhou o posto de “líder” da cirurgia plástica mundial, ultrapassando os EUA em números de procedimentos realizados. “As cirurgias plásticas não são feitas somente por um fator estético. A intervenção cirúrgica possui muitos pontos positivos, como elevar a autoestima e autoconfiança do paciente. Além disso, em alguns casos, ela é fundamental para devolver a identidade do paciente”, ressalta o cirurgião plástico Dr. Alexandre Wood Branco. Tire suas dúvidas sobre a cirurgia plástica com o especialista:

O que o paciente precisa saber assim que decide fazer uma cirurgia plástica?

O paciente deve se informar sobre o procedimento que pretende realizar, para programar-se e ver se há ou não a necessidade de interromper suas atividades; saber o tempo de recuperação, quais serão as principais limitações e por quanto tempo; e, principalmente, procurar um profissional qualificado e conversar com ele sobre suas expectativas.

Quais critérios devem ser avaliados na hora de escolher o cirurgião plástico?

É importante conhecer e buscar informações sobre o seu cirurgião plástico, que deve ter o Título de Cirurgião Plástico reconhecido pela Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica, o órgão responsável pela seleção desses profissionais no Brasil.

Existe alguma contraindicação para se fazer uma intervenção cirúrgica?

Sim, existem contraindicações conforme cada procedimento cirúrgico e há um critério de avaliação sob a qual cada paciente deverá ser submetido. Por isso, é importante conversar com o cirurgião e, e se for preciso, realizar os exames indicados.

Qual idade mínima e máxima para se submeter a uma cirurgia plástica?
Cada cirurgia plástica apresenta um certo limite de idade, principalmente mínima, para ser realizada. Geralmente, esse limite está associado ao fim do processo de formação das partes do corpo, destacando que o momento ideal varia de acordo com cada indivíduo e com as consequências que determinada desproporção estética possa estar causando. Quanto à idade máxima, não existe um limite, uma vez que a população atual está envelhecendo com mais saúde e qualidade de vida, o que permite que continuem a realizar procedimentos cirúrgicos pelo tempo que bem quiserem.

É possível realizar mais de um procedimento em uma única intervenção?
Sim, é muito comum a associação de procedimentos. Já o número de procedimentos a ser realizados numa única intervenção depende de vários fatores e podem ser diferentes para cada pessoa, devido a critérios relacionados às técnicas cirúrgicas e histórico do paciente.

Quais fatores relacionados ao estilo de vida podem interferir na recuperação pós-operatória?
São muitos os fatores que podem contribuir ou prejudicar a evolução do pós-operatório. Uma vida saudável, com alimentação balanceada, prática de exercícios físicos e disciplina para seguir as orientações médicas, contribui muito para a recuperação. Já hábitos como tabagismo, consumo de álcool, frequente exposição solar podem dificultar a recuperação e gerar um resultado diferente do esperado. Por isso, o acompanhamento médico e a cumplicidade médico-paciente é fundamental.

O pós-operatório de uma cirurgia plástica é doloroso?
Dor é algo muito subjetivo e pode variar muito de indivíduo para indivíduo, mas, no geral, cirurgias costumam resultar em dor, que pode ser controlada com medicamentos e amenizada com a fisioterapia pós-operatória, que proporcipona uma melhora dia após dia.

Qual é a contribuição da fisioterapia para os resultados de uma cirurgia plástica?
A fisioterapia dermatofuncional pode auxiliar na cirurgia plástica no pré-operatório, ativando a circulação linfática, melhorando a imunidade e prevenindo os edemas, também com auxílio de aparelhos para diminuir a rigidez da gordura e de fibroses. No pós-operatório, a fisioterapia dermatofuncional ativa a circulação sanguínea e linfática, melhorando os hematomas, o edema, auxiliando na cicatrização, prevenindo e tratando as fibroses, aliviando a dor e o desconforto pós-operatório.

Quais técnicas cirúrgicas podem ser beneficiadas com a fisioterapia?
Toda e qualquer cirurgia pode ter benefícios com a fisioterapia, como, por exemplo, a rinoplastia (cirurgia de nariz), na qual pode ocorrer hematomas na região de pálpebra inferior, e com a drenagem linfática, há a eliminação de hematoma e diminuição do edema mais rápido e eficaz.

Quanto tempo após a cirurgia pode-se realizar técnicas de fisioterapia na área operada?
A fisioterapia pode ser realizada desde o primeiro dia pós-operatório, de acordo com a liberação do cirurgião, levando-se em conta que as sessões podem e devem acompanhar a evolução do paciente, sendo que cada recurso terá seu momento certo de ser realizado.

Quais são os procedimentos que contribuem para acelerar o processo de reparação da pele?


O processo de reparação da pele no pós-operatório da cirurgia plástica se faz em toda a extensão da cirurgia, não apenas na localização do corte ou cicatriz. A fisioterapia dermatofuncional disponibiliza recursos manuais e aparelhos, como ultrassom, radiofrequência, microcorrentes e outros, que de diversas formas podem contribuir e acelerar o processo de reparação da pele nas diferentes fases da cicatrização.
• A Drenagem linfática é o principal recurso manual que deve ser realizado desde o início, o qual demonstra resultados já na primeira sessão, com alívio da “pressão” e da dor.
• O Ultrassom auxilia na eliminação das fibroses, muito comum no pós-operatório de lipoaspiarção.
• A Rádiofrequência utiliza o aquecimento da pele para produzir novas fibras de colágeno e melhorar o aspecto da pele de forma rápida e segura.

Notícias Relacionadas

Deixe uma resposta

Seu endereço de e-mail não será publicado. Os campos obrigatórios estão marcados *