A quantidade e a qualidade dos alimentos consumidos na gestação, mais a prática periódica de determinadas atividades físicas no período, são aspectos fundamentais de uma gravidez saudável. Embora a vontade de comer seja grande e a fome ainda maior, deve-se controlar bem o peso na gestação. “Se por um lado o aumento de peso inadequado se associa a um prejuízo do crescimento fetal, por outro, o excesso pode ser muito prejudicial em diversas fases da gravidez, podendo desencadear, entre outras doenças, o diabetes gestacional e a doença hipertensiva da gestação”, informa a ginecologista e obstetra Dra. Flávia Martins Vieira Bueno.

De acordo com a Dra. Flávia, é comum no 1º trimestre manter ou perder um pouco de peso. Isso se deve ao metabolismo aumentado do embrião associado à ingestão diminuída da gestante por conta dos enjoos e da repulsa alimentar. Já no 2º e no 3º trimestres ocorre uma reserva maior de nutrientes. Nessa fase, o ganho de peso não deve ultrapassar 400/500g por semana. “Adicione cerca de 300 calorias ao seu cardápio diário, isso dará energia suficiente a você e ao bebê”, declara. Saiba mais:

Alimentos que devem ser evitados na gestação

Peixes: certos peixes são ricos em mercúrio e o excesso deste elemento pode causar danos ao feto. Evite alimentos à base de tubarão, peixe-espada e cavala. Restrinja a ingestão de crustáceos, salmão, linguado e bacalhau a 1 porção por semana (máximo de 340g). Peixes de água doce devem ser limitados a 170g/semana e atum a 120g/semana.

Cafeína: a cafeína é um estimulante cerebral e o excesso desta substância está relacionado a prematuridade, bebês de baixo peso e, em alguns casos mais graves, abortamento espontâneo e malformações. Seu consumo não deve ser superior a 200mg/dia.
Carnes cruas: as carnes cruas ou mal passadas (inclusive peixes) podem estar contaminadas, transmitindo diversos tipos de doenças. Para não correr o risco, coma carne bem passada.

Frutas e vegetais não lavados: risco de contaminação por toxoplasmose e outras verminoses.

Produtos não pasteurizados: ingerir leite e seus derivados devidamente pasteurizados e nunca ingerir ovo cru na gestação pelo risco de contato com a Salmonella.

Sal: o excesso de sal aumenta o edema e pode cursar com elevação da pressão arterial. Cuidado com alimentos muito condimentados, defumados, congelados e enlatados.

Adoçantes: sempre que possível evite o uso de adoçantes. Opte por sucralose, stevia e aspartame. Evite produtos com sacarina e ciclamato.

Refrigerantes: evite ao máximo o consumo durante a gravidez. Caso opte por ingerir, prefira sempre versões normais.

Álcool: o uso excessivo de álcool pode acarretar restrição de crescimento, retardo mental, anomalias na face, além de alterações comportamentais no feto.

ATIVIDADE FÍSICA

A atividade física regular, diária ou no mínimo 3 vezes por semana melhora a atividade cardíaca, diminui as dores musculares, além de melhorar o humor e ajudar a evitar o excesso de peso.
Existem algumas situações específicas que contraindicam a atividade física; converse com seu médico. Além disso, atente-se a estas dicas:
• Caso sinta algum desconforto, dor abdominal, enjoo, mal-estar, tontura ou sangramento, pare o exercício imediatamente.
• Evite exercícios de agachamento ou com movimentos repetitivos caso não esteja habituada.
• Atividades na água são excelentes, pois diminuem o impacto.
• Todos os exercícios que envolvem riscos de queda e trauma são contraindicados.

 

Notícias Relacionadas

Deixe uma resposta

Seu endereço de e-mail não será publicado. Os campos obrigatórios estão marcados *