Política de Privacidade Como Anunciar
Filtrar por Semana de Gestação
Saúde do Bebê
13 sinais de alerta para detectar o autismo

2 de julho de 2019

Saiba quando procurar um especialista em Integração Sensorial

13 sinais de alerta para detectar o autismo

Os especialistas têm recebido em seus consultórios mães preocupadas com o desenvolvimento dos seus filhos em idade cada vez mais precoce. Há aquelas que desde os primeiros meses de vida percebiam que havia algo diferente em seu bebê, porém não identificado pelo pediatra; e aquelas que, nesta era tecnológica, comparam seus filhos com aqueles de mães que acompanham nas redes sociais, cujos filhos são diagnosticados com autismo.

Como terapeuta ocupacional especializada em Terapia de Integração Sensorial, apontada em estudo americano como a mais eficaz para tratar o autismo, Thais Caroline Pereira orienta gestantes e mães quanto aos sinais de alerta para o autismo, viabilizando a identificação e intervenção precoce. “Mas com que idade podemos perceber os primeiros sinais?” A resposta é: com 4 meses de vida! Sim. E há estudos que apontam para idades ainda menores.

A primeira dica da especialista é: siga seu instinto materno. “É o que você faz de melhor pelo seu filho”, afirma. “Muitas mães relatam sobre ouvirem: ‘Cada criança tem seu tempo’, com seus corações aflitos, alertando que há algo diferente, muitas vezes elas não sabem dizer o que é, mas sabem que seu filho precisa de ajuda”, justifica.

Os sinais do autismo estão ligados ao Processamento Sensorial, que consiste na função neurofisiológica que registra, organiza e interpreta as informações recebidas pelos sistemas sensoriais com repercussões comportamentais. Quando há dificuldade nesse processo, é denominado Transtorno do Processamento Sensorial, o qual considera as reações aos estímulos sensoriais (motora, emocional, cognitiva, social ou comunicativa). Portanto, procure um terapeuta ocupacional especialista em Integração Sensorial quando seu bebê:

1) Necessita de rotina para ficar calmo;
2) Não responde quando chamado pelo nome;
3) Não faz contato visual durante interações;
4) Tem dificuldades em relação ao sono;
5) Resiste a brincar em meio a outras crianças;
6) Tem dificuldade para sair da mamadeira e aceitar alimentos sólidos;
7) Se interessa por objetos que giram ou rodam (ex. ventilador e rodinha);
8) Se incomoda para cortar as unhas, o cabelo e higienizar a boca;
9) Se incomoda ao pisar em superfícies como grama e areia;
10) Não interage com a sua imagem no espelho;
11) Não gosta de ser abraçado ou de ficar no colo;
12) Cai com frequência;
13) É muito apegado e dependente.

VAMOS COMPARTILHAR?

COMENTÁRIOS