Olá, em qual região
você está?
Selecione seu Estado:
Política de Privacidade Como Anunciar
Filtrar por Semana de Gestação
Beleza da Mamãe
Tratar cabelos é no consultório dermatológico
743

Diversos são os motivos que levam os cabelos a caírem, e um deles, o eflúvio, ocorre comumente após o parto. Em geral as pacientes percebem três meses após o nascimento do filho uma queda volumosa dos cabelos. Muitas se assustam. Mas calma! Essa queda é reversível e tem tratamento, afirma a dermatologista Dra. Juliana Jordão.

Assim que possível a paciente deve procurar um médico dermatologista para a avaliação. O profissional solicitará exames para avaliar outros possíveis fatores contribuintes para a queda, tais como alterações da tireoide, anemia, deficiência de ferro e outras vitaminas essenciais ao cabelo.

“Caso os exames venham normais, considera-se o diagnóstico de eflúvio pós-parto, que é um evento normal e esperado nesse período. A queda hormonal súbita e o processo do parto são interpretados pelo nosso organismo como uma situação de estresse e como defesa ele reduz a distribuição de nutrientes para lugares menos importantes, como o cabelo”, esclarece.

O tratamento depende de a mamãe estar ou não amamentando. Caso esteja, a Dra. Juliana recomenda apenas produtos fitoterápicos para auxiliar na recuperação dos fios e eventualmente a aplicação de LED capilar para maior estímulo. Caso não esteja, são indicados medicamentos tópicos, vitaminas, aplicação de LED e outros procedimentos em casos mais severos, tais como a aplicação de laser e mesoterapia capilar.

Outros motivos

Existem vários diagnósticos possíveis para um episódio de queda de cabelo e por isso a consulta dermatológica é extremamente importante. A Dra. Juliana explica que na faixa etária média das gestantes é comum a ocorrência de Alopecia Androgenética (AA), que se apresenta como uma queda de cabelo especialmente na região frontal do couro cabeludo. “As mulheres percebem uma diminuição do volume capilar e o couro cabeludo mais visível”, ressalta.

A AA é uma doença crônica e requer diagnóstico e tratamentos precoces para evitar sua progressão para calvície. “Para fazer o diagnóstico tanto do eflúvio quanto da AA é necessária a realização de um exame chamado Tricoscopia, que é a análise dos fios e do couro cabeludo em um equipamento capaz de aumentar a imagem em até 150 vezes. Além disso, o equipamento faz registros fotográficos e comparação das fotos para acompanhamento da evolução do caso”, finaliza a especialista.

VAMOS COMPARTILHAR?

COMENTÁRIOS