Mitos e verdades

Você está grávida! Essa frase é capaz de desencadear um turbilhão de emoções, que certamente virão acompanhadas de diversos palpites. Desde os primeiros dias da gestação até o último e ainda após o parto, você com certeza irá ouvir de tudo. São questões comportamentais que foram passadas de geração em geração e ganharam espaço nas crendices populares. Saiba que muita coisa é verdade, mas outras não fazem o menor sentido. Para saber o que deve realmente ser levado a sério durante a gestação e resguardo, consultamos o Dr. Rui Gilberto Ferreira, obstetra e Presidente da Sociedade Goiana de Ginecologia e Obstetrícia. O médico também é Chefe do Departamento de Ginecologia e Obstetrícia da Faculdade de Medicina da UFG.
Gestante não deve consumir produtos diets e nem mesmo adoçantes
É aconselhável usar adoçantes naturais, como açúcar cristal, rapadura, açúcar mascavo e mel. Porém, não há relatos na lite-ratura médica de más-formações fetais devido ao uso de produtos diets e adoçantes durante a gestação.

Carnes e peixes crus devem ser evitados durante a gravidez
Verdade. A carne crua pode transmitir o Toxoplasma Gondi causador da toxoplasmose, que poderá induzir ao aborto, parto prematuro, óbito do feto intra-útero ou nascer um feto malformado (surdez, diminuição da visão, dificuldade de aprendizagem escolar). A carne crua poderá transmitir outras doenças, como infecção por salmonelas (intoxicação alimentar com diarréias), vermes etc. Além disso, os pa-rasitas irão se aproveitar de seus nutrientes antes do seu bebê.

A gestação pode levar a mulher a desenvolver diabete
A ação dos hormônios da gravidez predispõe ao surgimento do diabetes, que, na maioria das vezes, volta ao seu estado normal, após o parto. O bebê não desenvolverá diabetes pela gravidez da mãe. Ele terá tendência de nascer com peso superior ao previsto e exigirá cuidados especiais do pediatra nos primeiros dias de vida.

Quando o bebê é grande, precisa nascer de cesárea
Não necessariamente. Porém, se tiver uma desproporção do tamanho do feto com a bacia da mãe, deverá nascer de cesariana.

Depois de uma cesárea, não se pode mais fazer parto normal
Mentira. O motivo da primeira cesariana poderá não repetir no segundo parto. Apenas para citar um exemplo: uma mãe poderá ter pré-eclampsia (pressão arterial elevada) na primeira gravidez e não repetir na segunda, podendo ter um parto normal.

Posso perder o bebê se fizer sexo nos primeiros e últimos meses da gestação
Mentira. A relação sexual durante uma gestação saudável e normal não provoca aborto nem perda do feto nos últimos meses da gestação. No entanto, por mais que se diga que manter relações sexuais durante a gravidez é absolutamente seguro, muitos casais mantêm em mente que estarão causando algum mal ao seu bebê. Na verdade, não há regras. O interesse em sexo pode aumentar ou diminuir. Todas as pessoas são diferentes e reagem de forma diferente diante de uma situação nova.

Gestante não pode pintar o cabelo
Mentira. A gestante pode pintar o cabelo, mas deve evitar produtos que contenham amônia durante os primeiros três meses de gravidez e evitar escova progressiva com formol em toda a gestação.

Gestante não deve viajar de avião
Mentira. Ela pode viajar tranqüilamente. Apenas é desaconselhável no último mês de gravidez pela proximidade do parto. Em qualquer viagem, a gestante deve estar atenta à boa alimentação e ao consumo de líquidos.

Quarentena dura exatamente 40 dias de repouso absoluto após o parto
Trinta dias após o parto (normal ou cesa-riana), a mulher encontra-se restabelecida biologicamente, podendo exercer suas atividades normais.

A anestesia do parto faz cair o cabelo
Mentira. Os medicamentos utilizados na anestesia (local, na coluna vertebral ou na veia) não provocam queda de cabelo.

Durante a quarentena posso dirigir
A maioria dos obstetras autoriza a mamãe a voltar ao volante somente 15 ou 20 dias após um parto vaginal e 30, depois da cesariana. Isso porque o movimento de pisar nos pedais exige muito da musculatura do períneo e do abdome, podendo pre-judicar a cicatrização.

É proibido subir escadas neste período
Mentira. Pode subir escadas, mas isso deve ser feito com cautela, sem esforços excessivos, caso o parto tenha sido cesariana.

Sexo é proibido durante o resguardo
Não. Deve-se evitar a relação sexual convencional nos primeiros 30 dias. Como os vasos do útero no local onde estava inserida a placenta estão abertos, há riscos de contaminação. Além disso, o atrito do pênis no útero durante a penetração pode causar dor e desconforto. Passado esse prazo, as relações devem ser iniciadas de maneira lenta e progressiva. No início, é comum a sensação de ardor. Se persistir, o médico pode indicar remédios de uso local que aliviam o mal-estar.

Não há perigo de engravidar durante a quarentena
Não. A fertilidade retorna ao normal após quarenta e cinco dias de parto numa gestação de nove meses e de quinze dias após um aborto, que tenha ocorrido nos primeiros três meses de gestação. Se a mu-lher estiver amamentando, ela deverá recorrer a um método contraceptivo eficaz e de uso permitido durante a lactação.